Uso de dados marinhos públicos em Portugal
0%
Caution: JavaScript execution is disabled in your browser or for this website. You may not be able to answer all questions in this survey. Please, verify your browser parameters.

A sua participação neste questionário da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) sobre o uso de dados marinhos públicos em Portugal é bem-vinda e muito importante.

 

This is the Portuguese language version of the questionnaire. The questionnaire is also available in English. If you would prefer to respond in English, please follow the link here.

 

A OCDE, em parceria com a Direção-Geral de Política do Mar (DGPM), a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. (FCT) e o Global Ocean Observing System (GOOS), pretende reunir informação sobre o uso de dados marinhos disponíveis publicamente através de repositórios especializados de dados. A sua contribuição, ao responder ao presente questionário, permitirá a recolha de informação de suporte a políticas futuras em linha com a Década das Nações Unidas das Ciências do Oceano para o Desenvolvimento Sustentável 2021-2030.

 

A monitorização do ambiente marinho por autoridades públicas nacionais, organizações científicas e outros organismos produz um vasto conjunto de dados marinhos que são úteis para muitos fins. De facto, os dados marinhos desempenham um papel crucial em muitos campos de investigação e para uma série de serviços operacionais, tais como a gestão das pescas, o planeamento ambiental, a conservação marinha, a previsão do tempo e a gestão portuária.

 

Grande parte dos dados marinhos recolhidos é disponibilizada através de repositórios de dados públicos. Perceber qual é a utilização feita destes dados, acedidos através desses repositórios públicos, fornecerá informação útil para quem se dedica à monitorização do meio marinho e não só. Em última análise, a informação que se pretende obter através deste questionário irá contribuir para uma melhor compreensão do valor social dos dados marinhos públicos.

 

O presente questionário foi desenvolvido para utilizadores de repositórios públicos de dados marinhos em Portugal e tem quatro objetivos:

  • Atualizar o conhecimento existente sobre as comunidades de utilizadores de dados marinhos públicos portugueses
  • Explorar os padrões/procedimentos associados ao tratamento dos dados marinhos públicos em informação que possa ser aplicada
  • Lançar as bases para que no futuro se possa medir o valor dos dados marinhos públicos, criando representações gráficas da sua utilização
  • Recolher informação comparável, entre diferentes países e contextos, sobre os utilizadores e a utilização dos dados marinhos públicos

 

Agradece-se antecipadamente a sua disponibilidade para responder a este questionário, que deverá demorar aproximadamente 15 minutos. Caso seja necessário, poderá guardar as suas respostas e continuar a responder mais tarde às restantes perguntas do questionário.

 

 

Aviso de Proteção de Dados Pessoais para o Questionário da OCDE sobre Uso de Dados Marinhos Públicos

A OCDE está empenhada em proteger os dados pessoais que processa de acordo com as suas Regras de Proteção de Dados Pessoais.

A Direção de Ciência, Tecnologia e Inovação da OCDE está a utilizar este inquérito para recolher dados pessoais, incluindo nome, endereço de correio eletrónico, cargo, empregador/nome da organização, país do empregador/organização e código postal do empregador/organização. Os dados serão utilizados para identificar respostas individuais ao inquérito e para permitir o contacto com o inquirido, apenas se por este for dada autorização para esse efeito.

Os dados pessoais recolhidos serão armazenados em segurança pela OCDE e mantidos até que a análise adequada das respostas ao inquérito tenha sido realizada. Apenas a OCDE terá acesso aos seus dados pessoais.

Ao abrigo das Regras de Proteção de Dados Pessoais, o inquirido tem direitos de acesso e retificação dos seus dados pessoais, bem como a negar o seu processamento, solicitar que os seus dados pessoais sejam apagados, e à obtenção de portabilidade de dados em determinadas circunstâncias. Para exercer estes direitos no âmbito deste inquérito, queira contactar Chrystyna Harpluk (chrystyna.harpluk@oecd.org).